(Não) Veja. Não Compre. Não Anuncie.

“Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma. – Joseph Pulitzer”

Eu prometi não perder tempo com essa velha mídia. Tanta coisa rolando no mundo e eu perdendo tempo, mas um leitor pediu, então tá ai, “for the very last time“.
Anúncios

Extra! A próxima capa da Veja!

“#BolinhadePapelNuncaMais”

A molecada está demais (não demorou nem meia hora…). Eu já disse eles jogam um jogo velho, surrado e ultrapassado. Nós somo guerrilhas. Desse jeito é só headshot.

Agradeço ao #SerraRojas vai ajudar a gente a empurrar esses ratos e essas baratas de volta pro esgoto, por pelo menos até 2014.

Escreva Lola Escreva :: “Dilma, não esqueça sua função no Mundo”


 

“Criticar a imbecilidade do mundo fashion é mole. A Lola, aproveita e destroça a Veja.”

Escreva Lola Escreva: DILMA, NÃO ESQUEÇA A SUA FUNÇÃO NO MUNDO

segunda-feira, 11 de outubro de 2010 

DILMA, NÃO ESQUEÇA A SUA FUNÇÃO NO MUNDO

Há coisas piores que um passado terrorista. Dica: começa com sobrancelh…

Uma leitora silenciosa, a Bartira, me enviou um email com a reportagem da Veja do penúltimo fim de semana (leia aqui). O artigo de Mario Mendes é sobre as roupas da Dilma. Porque, sabe, a gente vê inúmeros artigos sobre a aparência do Serra, do Lula, do Alckmin e de outros machos, e todos são cobradíssimos para se enquadrarem no padrão de beleza vigente. Então, escrever sobre a aparência da primeira mulher presidente (a Veja acreditava que Dilma seria eleita no primeiro turno!) é totalmente normal. Não é machismo. Imagina.

O título já é “Vestida para Mandar”, trocadilho com “dressed to kill”, que provavelmente reflete a opinião da revista sobre como mais um governo petista seria “de matar” (e, num momento em que reaças chamam Dilma de matadora de criancinhas – outro dia li que ela deseja transformar a maternidade em matadouro! – nada melhor que associar a candidata vermelha ao verbo matar). No subtítulo, a legenda: “Em busca de um estilo para chamar de seu, Dilma Rousseff não tem mandado bem. Contratou um estilista famoso, mas vacila entre o brega e o careta. Eleita ou não neste domingo, o que não dá é para deixar esse PAC pela metade”.

A palavra “brega” não é a toa. A reportagem inteira insiste em lembrar que Dilma dificilmente entrará numa lista das celebridades mais bem vestidas do mundo. E, ficando de fora de uma lista dessas, sinceramente, pra que continuar vivendo? Uma consultora de moda cisma com o casaco de Dilma, que “sonha em ser Chanel, mas faltam a imponência do corte, o DNA da textura”. Saquei! O eugenismo chegou à moda! Mulheres que não têm classe não devem nem tentar imitar àquelas que nasceram com isso. É parecido com o que vivo ouvindo: o pobre pode sair da favela, mas a favela nunca sai do pobre. Ou seja, quem não nasceu em berço de ouro nunca será chique. Dilma nunca foi pobre, mas, pelo jeito, sempre foi brega. Era hippie! Riponga! E depois foi guerrilheira. Olha, andar com metralhadora na mão estraga qualquer look! (se bem que a consultora jura que Dilma deveria insistir no seu passado “terrorista fashion, porque o povo se emociona com isso”. É… O povo da TFP e da Veja definitivamente se emociona com o passado da Dilma. Depois do debate da Band, então, eles devem emocionar-se ainda mais).
Continuar lendo

Vender tudo o que der pra vender

“Em 10 min dá pra entender como os anos 90 serão lembrados como um neo-neocolonialismo, e nós meros índios felizes por termos ganho espelhos.”

Qdo assisto isso, me doi o coração, me vem à cabeça as horas (e isso não é uma figura de linguagem) que passei no telefone sendo atendido, e na maior parte das vezes não sendo atendido (pois derrubavam a ligação) pelas nossas modernas, eficientes e competentes empresas telefônicas. Lembro de cada centavo que eles me roubaram, e continuam roubando nas minhas contas telefônicas. Prevejo os dias que perderei na Justiça pra lutar contra esse sistema que nos foi vendido como melhoria de vida, como evolução econômica e na verdade, era só uma falácia repetida pelos papagaios da mídia brasileira pra tentar justificar um processo de privatização espúrio e corrupto.

Qdo assisto isso, me doi o coração por saber que uma empresa como a Vale, hoje derruba matas virgens e cria crateras na terra, destruindo a nossa natureza mais que dezenas de Belo-Monte’s pra tirar minérios que são exportados sem processamento algum, para a China e para a Índia (só pra ficar em países que estão no mesmo estágio de desenvolvimento que nós). E esses mesmos países nos inundam com produtos industrializados com dumping nos preços e tarifas subsidiadas só para matar nossa industria. E qdo um presidente insistentemente pede para a Vale processar alguma parte das suas exportações é taxado como autoritário, mesmo sendo, ainda um grande acionista da empresa.

Na verdade, nos anos 90, houve a transferência de recursos do Estado brasileiro para a velha e a nova elite de financistas (os recursos foram pulverizados na chapa quente de uma taxa de juros que chegaram a absurdos 45% a.a. naquela epoca). Não, os recursos não foram investidos em escolas, em saúde ou ciência e tecnologia. Foram jogados para essas hienas devorarem, e como se não fosse o bastante, aceitaram todo o tipo de título podre existente, em nome da construção de uma suposta “credibilidade nos mercados financeiros internacionais”.

Essa mesma nova-velha elite que criou o Instituto Millenium pra taxar o governo de autoritário, de chavista ou de bolivariano, incubou e gerou no seu ventre Daniel Dantas, economistas que sairam Governo e hj são ricos proprietários (ups, gestores) de Corretoras que tem entre seus clientes os mesmos políticos, juízes e promotores que deram suporte institucional para suas promiscuas atividades.

Não é por acaso que dificilmente teremos acesso à lista de investidores brasileiros de fundos como o Opportunity Fund (e não se enganem, outros espalhados por ai). Não por acaso empresas como a Alstom continuam suas atividades normalmente aqui no Brasil. Só são investigadas pq foram arrogantes demais e resolveram corromper até nos países ricos.

Então meus caros, não é só uma questão em quem votar. É uma questão de participar ativamente da política e principalmente, de cobrar – pelo menos nesse momento – mais debate dos candidatos. Pq é assim que funciona na democracia. Pq é assim que veremos os compromissos dos candidatos não com o nosso futuro, mas dos nossos filhos e netos.

Altamiro Borges :: Mídia esconde caixa-dois de Kátia Abreu

Blog do Miro » Mídia esconde caixa-dois de Kátia Abreu

15 setembro 2009
Mídia esconde caixa-dois de Kátia Abreu

Posted by altamiroborges under: Sem categoria .

Na encarniçada pressão dos barões do agronegócio para inviabilizar a atualização dos índices de produtividade rural, a mídia hegemônica já escolheu a sua heroína: a senadora Kátia Abreu, do DEM de Tocantins. Quase todo dia, ela aparece nos jornalões oligárquicos e nas telinhas da TV para esbravejar contra a proposta do presidente Lula, que atendeu uma antiga demanda dos que lutam pela reforma agrária. A edição da revista Veja da semana passada deu destaque à estridente parlamentar ruralista, que propõe uma CPI “para investigar as atividades criminosas do MST” e crítica o governo federal por financiar os movimentos dos trabalhadores rurais sem terra.

A revista, que sempre defendeu os interesses dos latifundiários, só se esqueceu de falar sobre as denúncias que pesam contra a senadora do demo. Em julho de 2008, a própria Veja publicou o artigo intitulado “Tem boi na linha”, de autoria de Diego Escosteguy, que desmascara a heroína da elite ruralista. “A pecuarista Kátia Abreu, eleita senadora pelo estado do Tocantins, ganhou recentemente o apelido de Ivete Sangalo do Congresso, graças ao seu jeito barulhento de fazer política – e se projetou como estrela dos Democratas”, ironiza a reportagem, agora arquivada.

Doações ilegais e irritação

Continuar lendo