Karma Police

Policial do Carma, eu desisto. Prenda-me por favor. Cansei de carregar os erros do passado como uma cruz, como uma marca escarlate, como um código de barra na nuca na prisão do futuro.

Prenda-me agora. Pois eu decidi que daqui em diante só falarei através da matemática. Em signos. Em línguas extraterrestres. Vou gritar, mesmo que minha voz pareça um rádio mal sintonizado.

Jogue-me na solitária. Longe de tudo, longe de todos. Eventualmente me dê um banho frio, e me deixe mofar no canto escuro. Permita-me, antes, escrever as minhas memórias do subsolo.

Erros, todos cometemos. Mas o fato de ser o único a enxergar um espelho em cada cômodo que entro, não me torna mais ou menos culpado. O fato é que não consigo suportar mais o peso.

Enforque-me. Crucifique-me. Decapite-me.

Aonde está o Paredão? Execute-me, então. Eu estou pronto.

Mas só se for agora. É o que eu mereço por ter mexido com vocês.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s