Festa adiada

Ou não? As pessoas podem aprender a comemorar passos intermediários:

Dilma ficou na média de Lula em 2002 e 2006. Para 1ª candidatura e com boa parte da mídia e algumas denominações religiosas contra, não é pouca coisa. Afinal, as expectativas até alguns meses eram de resolver no 2º turno, ou não? E agora já sabe seu potencial de votos consolidados.

Marina Silva recebeu quase 20 milhões de votos (esperava 15 milhões.) É claro que em muito pela posição contrária ao aborto, mas não deixa de ser uma vitória, já que essa também era uma causa dela.

Mercadante recebeu 18% a mais de votos que em 2006. Se insistir em 2012 ou 2014, leva. Lula conseguiu só na quarta vez, certo? (Não sei se o mesmo raciocínio se aplicaria a Hélio Costa…)

A oposição fez um senador inesperado, Aloysio, e mais governadores de última hora do que se previa. Serra voltou subitamente a uma posição que só é comparável a de antes da campanha.

x-x-x-x

Surpresa na presidencial : Marina com 19,4% (previsto 17%), ou seja, a “onda cristã” continuou. Serra também deve ter recuperado um pouco, obteve 32,6%, quando estavam previstos pelas pesquisas até 31%, mas também houve o efeito de uma redução do número de válidos para Dilma. Nas eleições de 2002 e 2006 ocorreu o mesmo : com Lula perdendo 3 a 5% dos votos em relação a pesquisas, os candidatos do PSDB mantêm as projeções totais de votos e ganham percentual de válidos com o menor denominador (compare-se, p.ex., 31/100 com 31/95).

Aprendizado : além da margem de erro, considerar – 4% para o PT, nas pesquisas, e só aí calcular os válidos.

x-x-x-x

A dúvida será o posicionamento de Marina. Normalmente ela seria neutra, mas… e com “plenária” do PV? Nas últimas simulações para 2º turno Serra ganhava 2/3 dos votos de Marina/outros. Considerando os votos de Plínio para Dilma, no entanto, Serra recebe 71% dos votos marinistas (Ibope) ou 77% (Datafolha.) Portanto é muito importante. Mas boa parte da “onda verde” (algo como ¼ dos votos de Marina) se deveu a religião mais que à ética na gestão ou desenvolvimento ecosustentável , assim sobre estes votos paira grande incerteza.

Há muito tempo que Serra não tem chances tão boas. Então agora é que a eleição irá polarizar mesmo e começará a discussão programática. Novas balas de prata é difícil supor, teriam sido usadas para forçar o 2º turno. E o maior trabalho está com o governo em várias frentes: a) desconstruir o promessômetro de Serra; b) reconstruir as perdas de imagem sofridas por Dilma; c) estabelecer uma comunicação com a classe média. Precisará contar com os governadores e senadores eleitos para isso e o tempo de TV do PMDB agora não conta. Ajuda que os factóides de setembro já foram desmontados.

Haverá muita ansiedade em relação às primeiras pesquisas de 2º turno.

x-x-x-x

Pesquisas : como sempre serão questionadas. Desta feita o Datafolha se saiu bem, já que foi o mais próximo do resultado final. Um grande problema é a abstenção, então, para as pesquisas de 2º turno serem mais confiáveis, será bom que haja a pergunta se votou no 1º turno ou se o entrevistado realmente pretende comparecer ao 2º turno.

Democracia : a grande dificuldade é a desinformação geral. Mesmo as pessoas que se julgam informadas não têm muita noção das limitações que um presidente pode ter em cumprir promessas; da questão da governabilidade; da credibilidade dos factóides. A classe média é desinformada pela mídia, os segmentos populares são desinformados por igrejas. Talvez a informação de sindicatos e organizações sociais também seja parcial. Se a sociedade não quiser seguir o caminho dos EEUU, onde 70% dos jovens cursam faculdade, o acesso a internet é amplo e irrestrito e mesmo assim há manipulação política, é necessário um reforço em metodologia, sociologia e história na educação. Trabalho para décadas, já que nunca se começou.

Eu tenho receio de que discutir papel do Estado, práticas de gestão, desenvolvimento sustentável ou partidarização da mídia sejam passatempos de uma minoria. E só a cada 4 anos.

Pelo menos aprendemos algumas coisas : acadêmicos são capazes de escrever coisas nas quais dificilmente acreditam sinceramente, eleitores são extremamente volúveis, o governo (da tendência que for) deve buscar algum canal de comunicação mais perene com a sociedade.

x-x-x-x

O Senado ficará um pouco mais lulista do que previsto (a oposição PSDB/DEM/PPS/PMN elegeu apenas 9 senadores de 54 possíveis, PT e aliados mais próximos 18, PMDB 15, diversos 12.) Aloysio Nunes vai como 1º colocado por SP, esse foi o grande ganho da oposição, mas Tasso (surpreendentemente), Mão Santa, Heráclito Fortes, Artur Virgilio, Marco Maciel, Heloísa Helena & Cesar Maia ficam de fora.

Há vários casos pendentes de deferimento de candidatura (PA, PB, RO, AP, DF) e pode haver mudanças pró e contra governo, porém, se todos os indeferimentos forem mantidos a situação terá perdido 2 em PA e 1 em AP, mas ganho 1 em PB e 1 em RO. Mas como atuarão na prática os senadores de partidos coligados (ou provavelmente a coligar) com a situação no nível federal e eleitos como oposição no nível estadual? Há casos em AL (PP), PI(PP), TO(PR), MS(PMDB), SC(PMDB suplente)

O DEM elegeu dois governadores vindos do Senado (essa parece ser uma boa estratégia, especialmente se em meio de mandato), mas com isso perdeu os cargos para os suplentes do PMDB (pelas coligações feitas em 2006.)

Mesmo com Agripino, Aloysio Nunes e Demóstenes eleitos, a grande vitória do governo se deu no Senado.

Bancadas para 2011 em diante (se não houver transferência para novos partidos):

PT : 15 / PDT-PSB-PCdB : 9 / PMDB : 20 (2 serristas) / PSoL-PTB-PP-PR-PRB-PSC : 19 / PSDB-DEM-PMN-PPS : 18

x-x-x-x

Para governadores poucas surpresas em relação a pesquisas. Em relação ao final de julho, em apenas 7 estados houve mudança no partido do 1º colocado. 4 viradas para a oposição, 3 para o governo. O maior imprevisto talvez tenha sido a decisão em primeiro turno em SC.

O 2º turno por muito pouco não aconteceu em SP. A “onda vermelha” enfraqueceu e PSDB/DEM/PMDB-MS devem eleger 10 governadores já contando onde estão bem posicionados para 2º turno. As mudanças mais sensíveis em relação a 2006 são/serão RS & DF para o PT e PA, PR & RN para a oposição. Há vários casos de 2º turno com dois candidatos do mesmo campo que o governador atual.

Coligações : quando há um candidato natural na frente, como Dilma, Anastasia, Alckmin, Jatene, etc, faz sentido a oposição se dividir. Isso ajuda a capturar os votos daqueles que rejeitam o favorito e a levar para o 2º turno, mesmo em uma eleição com cores tão continuístas. Talvez o grande erro do governo tenha sido a montagem da disputa em MG. Mas, em geral, são raras as viradas em 2º turno (lembro só de Covas vs Maluf e Jackson Lago x Roseana) Mais possivelmente do que não, não mudaria nada.

Anúncios

Deixo nas mãos do meu povo, a minha herdeira e o meu legado

“A minha militância é aguerrida, guerreira e não desiste nunca. Diante do obstáculo, ela é melhor do que diante da facilidade. Eu não temo nada, seja o que for, lutamos a boa luta – Dilma, hoje, 03 de outubro de 2010”

Galera tô indo votar. Em quem vcs já sabem. A herdeira legitima (um, mas ela não era do PDT? Então, exatamente. Legitimo pq representa o projeto. Legitima pq é engajada. Legitima pq tem o coro grosso, como o próprio Lula, como o próprio PT (ver uma coisa chamada estatística). Pros demais (deputados estaduais e federais) é uma questão de relação pessoal e tendência interna. E isso pq não sou filiado ao PT. Pois é. Em nome do projeto, vou fazer concessões que jamais faria no campo regional, seja pra Governador, seja pra Senador.

Já disse e repito: não adianta votar em alguém, sem dar a ele (ou ela) sustentação política. É assim que o presidencialismo é, é assim que tem que ser. É só ver o Lula, termina o mandato com 80% de aprovação, só 4% acham seu governo ruim, e mesmo assim não conseguiu aprovar nenhuma grande reforma (talvez por isso não é mesmo?). Paramos no Senado, sempre. É hora de dar a um candidato uma base ampla, e torcer pra que ele tenha visão pra modificar, pois o tempo não para.

Mas o bicho tá pegando é pra presidência (como sempre), essa reversão nas intenções da Dilma serviu pra dar criar um friozinho na barriga antes da apuração. Eu sempre falei do salto-alto dos petistas. Engajamento dá nisso. Sempre repeti que a estratégia é evitar o segundo turno, não vencer no primeiro. Fiz o que podia (pra convencer o comando da campanha), minha colaboração foi dada. Agora é torcer pra tudo dar certo. Se vier um segundo turno, é pq tinha que ser assim. Eu não acredito muito nisso, mas escrevo, pq foi exatamente o que ocorreu com o Lula. O segundo turno contra o Alckmin fortaleceu seu segundo mandato, serviu pra por tudo em pratos limpos.

Não sei se é o caso da Dilma. Mas se uma nova batalha virá, que venha, estamos prontos e armados até os dentes. Temos um legado pra defender, uma herdeira que é durona, não sabe sambar, rimar, nem gosta de brincar de bambolê. Mas é íntegra (não acharam nada no seu passado, só restaram as mentiras). Histórico de luta contra a ditadura, competência técnica (requisito básico a partir de agora) e sangue quente nas veias (é só mexer com ela pra tu ver o que acontece.).

Então fazendo aquela velha clássica entre a Lei de Murphy e a Teoria do Caos: o metalúrgico, retirante nordestino, deu um olé nessa elite econômica-intelectual e mostrou como é que se faz. Isso ninguém apaga, isso vai pros livros de história. Nem com mais uma centena de anos de mentiras na tv e na capa de jornais e revistas, vcs apagarão isso da história do Brasil.

Assim o jingle do João Santana estava errado. Lula está deixando nas mãos do povo, o seu legado, a sua herdeira. Quem bom que é assim, que bom que a democracia, conquistada a duras penas (torturas, mortes, etc.), vai permitir que cada brasileiro, democraticamente, tenha voz definir o que quer do seu futuro. Pode parecer piegas ou ufanista, mas viva a democracia!

Deixo nas mãos do meu povo, a minha herdeira e o meu legado

“A minha militância é aguerrida, guerreira e não desiste nunca. Diante do obstáculo, ela é melhor do que diante da facilidade. Eu não temo nada, seja o que for, lutamos a boa luta – Dilma, hoje, 03 de outubro de 2010”

Galera tô indo votar. Em quem vcs já sabem. A herdeira legitima (um, mas ela não era do PDT? Então, exatamente. Legitimo pq representa o projeto. Legitima pq é engajada. Legitima pq tem o coro grosso, como o próprio Lula, como o próprio PT (ver uma coisa chamada estatística). Pros demais (deputados estaduais e federais) é uma questão de relação pessoal e tendência interna. E isso pq não sou filiado ao PT. Pois é. Em nome do projeto, vou fazer concessões que jamais faria no campo regional, seja pra Governador, seja pra Senador.

Já disse e repito: não adianta votar em alguém, sem dar a ele (ou ela) sustentação política. É assim que o presidencialismo é, é assim que tem que ser. É só ver o Lula, termina o mandato com 80% de aprovação, só 4% acham seu governo ruim, e mesmo assim não conseguiu aprovar nenhuma grande reforma (talvez por isso não é mesmo?). Paramos no Senado, sempre. É hora de dar a um candidato uma base ampla, e torcer pra que ele tenha visão pra modificar, pois o tempo não para.

Mas o bicho tá pegando é pra presidência (como sempre), essa reversão nas intenções da Dilma serviu pra dar criar um friozinho na barriga antes da apuração. Eu sempre falei do salto-alto dos petistas. Engajamento dá nisso. Sempre repeti que a estratégia é evitar o segundo turno, não vencer no primeiro. Fiz o que podia (pra convencer o comando da campanha), minha colaboração foi dada. Agora é torcer pra tudo dar certo. Se vier um segundo turno, é pq tinha que ser assim. Eu não acredito muito nisso, mas escrevo, pq foi exatamente o que ocorreu com o Lula. O segundo turno contra o Alckmin fortaleceu seu segundo mandato, serviu pra por tudo em pratos limpos.

Não sei se é o caso da Dilma. Mas se uma nova batalha virá, que venha, estamos prontos e armados até os dentes. Temos um legado pra defender, uma herdeira que é durona, não sabe sambar, rimar, nem gosta de brincar de bambolê. Mas é íntegra (não acharam nada no seu passado, só restaram as mentiras). Histórico de luta contra a ditadura, competência técnica (requisito básico a partir de agora) e sangue quente nas veias (é só mexer com ela pra tu ver o que acontece.).

Então fazendo aquela velha clássica entre a Lei de Murphy e a Teoria do Caos: o metalúrgico, retirante nordestino, deu um olé nessa elite econômica-intelectual e mostrou como é que se faz. Isso ninguém apaga, isso vai pros livros de história. Nem com mais uma centena de anos de mentiras na tv e na capa de jornais e revistas, vcs apagarão isso da história do Brasil.

Assim o jingle do João Santana estava errado. Lula está deixando nas mãos do povo, o seu legado, a sua herdeira. Quem bom que é assim, que bom que a democracia, conquistada a duras penas (torturas, mortes, etc.), vai permitir que cada brasileiro, democraticamente, tenha voz definir o que quer do seu futuro. Pode parecer piegas ou ufanista, mas viva a democracia!

O segundo turno e a ingratidão da classe “mérdia”

"Não, não é Fortaleza. É a casa dos sonhos da nossa classe média."

Alguém (não sei se foi amigo ou se li por ai) disse que o problema do Brasil era a sua “classe mérdia” ignorante. Fiz aquela cara da “boca torta”, sacumé? Não concordava muito com o conceito e como sabem, sou um liberal de esquerda – bem menos “esquerda” do que já fui antes, o que parece ser a “ordem natural das coisas” – mas esse “desvio para o centro” não me impediu de ainda ter aquela visão que o “problema do Brasil” é essa “elite golpista”.

Mas meus caros, as últimas pesquisas eleitorais, que mostram uma queda daquela que representa a continuidade do Governo Lula, e a chance real de um segundo turno, me fazem mudar de opinião – definitivamente – pois o problema do Brasil é exatamente essa “classe mérdia”. Pra sermos justos, como classe média (chega de brincadeira, pq o assunto é sério) defino, quem já era classe média antes do governo Lula, e aproximadamente, hoje correspondem aqueles que foram massacrados no governo FHC. Vou facilitar, é a turma que tinha carro e casa antes do Plano Real (estou aberto a correções nessa simplificação).

Oras, os caras comeram o pão que o diabo amassou na era FHC, e hoje, a quem tem devoção? Essa turma, que dá valor a estabilização (como eu) simplesmente detesta o PT. Não sei como explicar, mas pretendo (rs). Essa classe média, segundo minhas pesquisas, é aquela que assina Veja e lê a Folha e Estadão (se não for de SP, acaba lendo só os colunistas, que conseguem propagar o lixo que escrevem por quilometros de distância, tipo uma chuva tóxica, tipo aquele mar de plástico no Pacífico) e assiste, diariamente, a Globo.

O problema desses caras, é que eles acreditam nesse pseudo-jornalismo, absorvem tudo e quando acham uma história inverossimel, bem, ai concedem o beneficio da dúvida, só que contra o réu. Invertem o ônus da prova. Mas se você for olhar no microscópio, os caras NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESTE PAÍS ganharam tanto dinheiro. Nunca antes…se deram tão bem. Talvez somente na virada do Plano Real, tenha ocorrido um efeito dessa magnitude. Então pq diabos são tão ingratos?

Eu tb sei valorizar a estabilização monetária, mas nunca fechei meus olhos para as besteiras que o FHC estava fazendo. Pulei fora do barco quando o FHC não teve coragem de sacar o Gustavo “Napoleão Bonaparte” Franco do BC. E faria o mesmo com o Lula se concluisse que sua inação – motivada, seja por incompetência, seja por estratégia política – fosse jogar o Brasil no buraco, como o Titanic rumo ao iceberg. Lula sempre andou descalço nessa navalha, mas entre mortos e feridos, cá estamos. Então, pelo resultado, podemos dizer que ele mandou bem.

Se colocarmos tudo isso na balança, e for intelectualmente honesto, decidiríamos como o próprio Lula decidiu. Não fazer nada. E se for fazer, fazer com cuidado. Na prática, meus caros, a teoria é outra. É muito fácil alguém garantir no papel, que uma queda brusca nos juros será “indolor”, que uma centralização do câmbio (aliás, o que propoem mesmo? Pq alguma coisa tem que ser colocada no lugar do que está ai.), só trará benefícios para a Nação. Agora qdo se põe aquela faixa no peito, senta que o peso é imenso.

Esse povo acredita em qualquer email que recebe. Se tiver powerpoint, ai que virá prova do crime. Essa galera, é extremamente susceptivel a questões religiosas, ou fatos, como chavismo e a “bolivarização do Brasil”. E isso, talvez ocorra por um único motivo: a classe média é ignorante. Tá bom, prometi parar de generalizar: grande parte da classe média é ignorante. Eles dão valor à estabilização monetária conquista com o Plano Real, mas fecha os olhos para a promiscua privatização e ignora completamente a pornográfica valorização excessiva do câmbio. Eles citam os grandes escândalos de corrupção, mas emudencem qdo são confrontados com a clara seletividade da mídia.

Se tivermos segundo turno será por conta dessa boataria. A gente esperava uma bala de prata. Ela não veio, mas em compensação veio um veneno gasoso. Sorrateiramente entrou pelas frestas da janela, vinda do submundo da política. Usando emails, usando parte da mídia, mas principalmente, usando alguns religiosos. E por favor, não ignorem a realidade, basta que saiam do twitter por alguns minutos, para ouvir o que o “povo” está falando. Se não fosse assim, não teriamos “batismos”, não teriamos “encontros com líderes religiosos” e não teriamos o agradecimento a Deus no fim do debate. Essas é a causa dessa reversão na reta final. É óbvio que as pesquisas internas acusaram o “golpe” e tentaram reagiram.

Se tivermos segundo turno será exclusivamente por conta dessa classe média, que se considera culta, que se considera bem informada, mas no fundo são só superficiais, ignorantes e ingratos. Preferem acreditar em boatos e mentiras do que decidir pela manutenção de um projeto que tanto lhes fez bem.

PS.: Por um problema no ScribeFire perdi esse post, estou recuperando-o e os comentários ficaram no post errado. Vou apagar lá e colar aqui.

Eu tenho uma teoria.
Acrescentando ao fato de que esse classe média foi criada a base de Folha, Globo, Veja e etc… acredito que, apesar de se declarar “informada”, ela nunca passou do primeiro parágrafo. Não foi educada para isso. Não questiona. É, acima de tudo, preguiçosa. É preconceituosa e, não gostando disso, encontra nesse meio uma cortina de fumaça. QQ coisa que esconda seu preconceito, vale. Engole sem questionar.
Uma teoria…

Comentário por Alê M. — 03/10/2010 @ 00:12 | Editar | Responder