Temer avança



“Temer avança sobre o PMDB paulista”

Temer começa a mostra a habilidade política que lhe é peculiar. Percebeu a oportunidade criada pelo vácuo da saída do Quércia e avança sobre o PMDB paulista. Pode não conseguir nem meio voto para a Dilma em SP (o que duvido muito), mas só essa articulação para tirar o Kassab do DEM e trazer grande parte da bancada do PMDB de SP já é uma grande vitória.

Eu já disse aqui, que essa história de “Temer o Temer” lembra muito o terrorismo “Lula comedor de criancinhas”. A política é mais dinâmica que esses velhos chavões. Políticos habilidosos sabem que tem que dançar de acordo com a música. Não ouso afirmar que não vai  existir distensões nessa aliança, mas no presidencialismo brasileiro, chega um momento (normalmente 1 ano e meio antes das próximas eleições) que a aliança começa a mostrar sinais de fadiga e estresse.

A ruptura, nesses casos, é inevitável. Mas o Governo Dilma, pode começar governando numa situação no Congresso impar. Resta só usar essa maioria bem, fazendo não só as reformas consensuais, mas inovando e atacando com micro-reformas econômicas. Na Casa-Civil a Dilma viu o quanto se pode fazer sem precisar de uma EC. E nessa articulação, o Temer pode ter papel fundamental.

Nesse sentido, alguém ai ainda quer comparar o Temer com o Índio?

Temer se movimenta de olho no PMDB de Quércia – Eleições – iG

Temer se movimenta de olho no PMDB de Quércia
Com ex-governador paulista afastado para tratar câncer, vice de Dilma diz ver chance de atrair ‘PMDB inteiro’

Nara Alves, iG São Paulo | 24/09/2010 07:30


O candidato a vice-presidente de Dilma Rousseff, o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), intensificou nas últimas semanas sua agenda no interior de São Paulo. Enquanto o presidente do PMDB paulista, o ex-candidato ao Senado Orestes Quércia, afastou-se da campanha para tratar um câncer, Temer, presidente nacional do partido, aproveita para articular com lideranças da legenda no Estado. “O partido já estava mais ou menos inclinado a nos apoiar e agora o PMDB vem inteiro”, disse Temer ao iG.

Com um olho nas eleições de 3 de outubro e outro nas de 2012, Temer já conseguiu que os deputados estaduais Jorge Caruso (vice-presidente do PMDB-SP), Uebe Rezek e Baleia Rossi, e os federais Paulo Lima e Francisco Rossi assinassem um documento de compromisso de apoio à chapa petista. De acordo com Temer, os parlamentares “não estavam apoiando a chapa (petista). Estavam titubeantes, ou sem definições”.

Hoje em lados opostos, Quércia e Temer têm um passado de amizade e muitos aliados em comum. Se o afastamento de Quércia for definitivo, a fatia do PMDB quercista que ainda apoia o PSDB e o candidato tucano à Presidência, José Serra, poderá seguir Temer ou uma nova liderança. Nos bastidores, tucanos falam da ida do presidente do DEM e prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, para a legenda.

Oficialmente, o vice de Dilma minimiza os rumores sobre a saída de Kassab do DEM e diz não ver chances de a mudança ser concretizada, pelo menos no curto prazo. “Por enquanto, é boato. Ele (Kassab) não pode sair (do DEM) porque não tem ‘janela’. Não pode sair sob pena de perder o mandato.” A legislação eleitoral prevê que o mandato pertence ao partido, e não ao político.

Além de deputados estaduais e federais do partido, Temer articula apoio com sindicatos e associações. Ele tem se dedicado, ainda, a atender vereadores, prefeitos e candidatos de todas as regiões de São Paulo em seu escritório no bairro de Pinheiros, zona oeste da capital paulista. Sempre com “bons resultados”, como ele diz. Nesta semana, ele visita as cidades de Campinas e Tietê.

Indio da Costa

A movimentação de Temer ocorre no mesmo momento em que seu equivalente na campanha tucana, o vice Indio da Costa (DEM-RJ), submergiu após provocar polêmica no início da disputa presidencial. Depois de fazer barulho ao acusar o PT de ligação com as Farc e com o narcotráfico, o vice de Serra agora se dedica a divulgar sua candidatura nos municípios cariocas.

Sem se envolver em novas polêmicas, ele ocupa sua agenda quase exclusivamente com panfletagem no interior do Estado e, eventualmente, acompanha Serra em compromissos fora do Rio, como em debates. Ontem, por exemplo, ele chegou atrasado mas compareceu ao debate organizado pela CNBB com os principais candidatos ao Palácio do Planalto. Indio também tem atuado na internet, enviando mensagens nas redes sociais e para emails cadastrados no site do PSDB.

Se por um lado o DEM corre o risco de perder seu principal representante em São Paulo caso se confirmem os rumores da saída de Kassab, por outro a legenda terá em Indio um novo nome de destaque no Rio. A avaliação é a de que, independentemente do resultado da eleição, o deputado terá como saldo garantido o aumento de sua popularidade não só no interior como na capital fluminense. Aos 39 anos, ele deixará sua primeira eleição majoritária como potencial candidato do DEM à Prefeitura do Rio em 2012, com a bênção do ex-prefeito e candidato ao Senado, Cesar Maia.

Blog Leituras Favre

Deputados do PMDB-SP declaram apoio a Dilma

Com a desistência de Quércia, bancada aliada ao PSDB na disputa estadual anuncia voto presidencial no PT
Malu Delgado – O Estado de S.Paulo

Parlamentares do PMDB paulista, que se aliaram ao PSDB no Estado, assinaram ontem manifesto de apoio à candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência e a Michel Temer (PMDB) para Vice. O documento conta com assinaturas de três dos quatro deputados estaduais -Jorge Caruso, Baleia Rossi e Uebe Rezeck – e do único federal além de Temer, Francisco Rossi.

Segundo o deputado estadual Jorge Caruso, vice-presidente do PMDB de São Paulo e um dos que subscrevem o apoio a Dilma, a bancada paulista ainda não tinha se manifestado oficialmente sobre a disputa nacional.

“O (Orestes) Quércia deu orientação no sentido de apoiarmos o (José) Serra, mas sempre defendemos as coligações oficiais do PMDB, em São Paulo com Geraldo Alckmin (PSDB) e Aloysio Nunes (PSDB), e a nacional com Michel Temer”, explicou Caruso. “Não poderíamos ir contra uma decisão da Executiva Nacional do PMDB”, justificou o deputado, referindo-se à decisão nacional do partido de se coligar com o PT e Dilma.

A manifestação da bancada estadual ocorre semanas após o mentor da aliança com o PSDB e presidente do PMDB paulista, Orestes Quércia, ter se ausentado da disputa eleitoral ao Senado por motivos de saúde. Quércia renunciou à candidatura para submeter-se a tratamento de câncer de próstata.

Os parlamentares paulistas afirmam que Orestes Quércia “sempre respeitou as posições individuais”. “O Quércia sabe a postura de cada um e também está ciente da questão nacional”, reiterou Jorge Caruso.

“Tendo em vista os últimos acontecimentos, ocorridos com o nosso companheiro Orestes Quércia, (…) que teve importante participação histórica no longo processo de redemocratização do país, as bancadas federal e paulista do nosso partido (…) decidem manifestar seus apoios políticos à chapa Dilma/Michel Temer”, diz o documento assinado pelos parlamentares paulistas.

Nele, o deputado Michel Temer é citado como “o grande condutor nacional do PMDB”.

Vanessa Damo, única deputada estadual que não assinou o manifesto, alegou a dirigentes do PMDB nacional que apoiará Dilma Rousseff, mas optou por não explicitar a decisão em função de rivalidade regional com o PT de Mauá.

A posição do PMDB paulista, segundo o coordenador do comitê suprapartidário de Dilma no Estado, Du Altimari, “é um reconhecimento ao trabalho do presidente do partido, Michel Temer”. “Isso dá um direcionamento muito importante à campanha no Estado”, comemorou. Prefeito de Rio Claro, Altimari afirmou que “a maioria dos prefeitos do PMDB está hoje bem dividida” entre as candidaturas de José Serra e Dilma Rousseff.

Senado. O vice-presidente do PMDB, Jorge Caruso, esclareceu que a Executiva Estadual do partido tomou a decisão de liberar o segundo voto ao Senado.

Com a desistência de Quércia, o PMDB cedeu a vaga e o tempo no horário eleitoral gratuito de rádio e televisão ao PSDB e apoiou o candidato Aloysio Nunes Ferreira. Porém, para o segundo voto, o PMDB não fará nenhuma indicação. Caruso declarou que votará em Aloysio para a primeira vaga e a Marta Suplicy (PT) para a segunda. Candidato do PSDB ao governo, Geraldo Alc

Poder Online – Os Bastidores da Política Brasileira – iG

DEM já conta com filiação de Kassab ao PMDB

Um dos nomes mais notáveis do DEM paulista já colocou na conta: o prefeito Gilberto Kassab irá mesmo para o PMDB depois das eleições.

Kassab tem negado com a justificativa de que para ser importante na política é preciso comandar uma legenda. Mas com Orestes Quércia sem mandato, o PMDB paulista precisará de um nome com perspectivas de poder.

Kassab tem também o apoio do deputado Michel Temer (PMDB-SP), segundo o democrata notável, por um motivo simples ou uma piada boa:

– Os dois são turquinhos do mesmo vale do Líbano.

E isso vale muito na política paulista.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s