A entrevista de Dilma ao Jornal Nacional

Hoje à noite o Jornal Nacional entrevistou a candidata à presidência Dilma Roussef, do PT. Tenho fortes razões para crer que a Dilma ganhou vários novos eleitores, a ponto de tal movimento ser detectado nas próximas pesquisas eleitorais. Na minha opinião, o desempenho da ministra no Jornal Nacional de hoje foi espetacular, muito melhor que no debate da Band.

Dilma Rousseff no Jornal Nacional – 09/08/2010

Analisando o conteúdo do discurso da Dilma, vemos que ela foi muito bem sucedida. No início da entrevista, ela mostrou que tem experiência administrativa para governar o país, citando os cargos que ocupou ao longo de sua vida na máquina pública. Foi um bom modo de responder ao questionamento do Bonner, que disse que ela não tem experiência eleitoral nenhuma. Dilma soube diferenciar os dois tipos de experiência, mostrando, de modo didático, que a experiência administrativa é muito mais importante para o país e para o povo que a experiência eleitoral. E finalmente Dilma acertou em um ponto crucial, a meu ver. Ela disse que foi ministra da Casa Civil, enfatizando que é o segundo cargo mais importante do governo federal. De fato, a Casa Civil no Brasil tem tanta importância quanto o cargo de primeiro-ministro na Europa, ou do chefe de equipe (“chieff of staff”) nos EUA. São cargos equivalentes, e as pessoas que assistiram a entrevista viram que a Dilma esteve em um cargo muito importante, estando abaixo apenas do presidente Lula na hierarquia do governo. Isso faz diferença na mente das pessoas. Causa impacto positivo.

Dilma mostrou a incoerência do discurso oposicionista quanto ao que dizem dela. Respondeu a Bonner que uns a vêem como pessoa forte, outros a vêem como pessoa que precisaria de tutor (Lula). Ela soube extrair algo positivo disso, afirmando que tem orgulho da participação dela no governo do presidente Lula, e que foi o braço direito e esquerdo dele no processo de transformar o Brasil em um país diferente. Mais uma vez ela se associou positivamente ao Lula, ganhando a simpatia das milhões de pessoas mais humildes que gostam do Lula e estavam assistindo ao jornal.

Em seguida a Fátima Bernardes disse que a Dilma é visto como uma pessoa dura e de temperamento difícil. Dilma afirmou que existem visões construídas a respeito dela, e foi sincera, dizendo que é uma pessoa firme. Dilma mostrou que ela e o Lula fizeram um governo do diálogo, mas que sabem ser firmes quando é para lidar com os problemas do povo brasileiro. Mais um ponto que Dilma ganhou aqui com os que assistiam o jornal, tanto pela sinceridade, quanto pela associação com o presidente Lula.

A entrevistadora insistiu no assunto, mencionando o comportamento da Dilma. Citou que Lula tinha dito que a Dilma “maltratava” outros ministros. Dilma ganhou mais pontos junto aos telespectadores nessa hora, pois fez de modo espetacular a analogia que o Lula é mestre em fazer: simplificou a situação, usando um exemplo do cotidiano. Disse que é como uma mãe, que é firme na hora de educar os filhos.

Apesar de ser constantemente interrompida pelo casal da Globo, Dilma manteve-se impassível. Demonstrou autocontrole, serenidade, e sorriu de modo natural em vários momentos, citando de modo positivo algumas realizações do governo Lula.

William Bonner falou sobre as alianças políticas, dizendo que Jader Barbalho, Renan Calheiros e Collor apoiam Dilma. Aí afirmou que o PT criticava esses políticos no passado, mas hoje são aliados. Enfim, perguntou se o PT errou antes, quando criticava eles, ou agora, que os apoia. Mais um ponto para Dilma. Ela escapou da armadilha com maestria, anulou o efeito negativo da citação de tais políticos e da crítica ao PT com argumentos positivos: disse que o PT compreendeu a complexidade do Brasil e aprendeu a fazer alianças, pois antes o PT não tinha experiência. Dilma mostrou um tom conciliatório que o Lula tem. Aqui ela também ganhou a empatia dos telespectadores.

Bonner teve a coragem de criticar o governo Lula-Dilma na economia, dizendo que o Brasil cresceu menos que outros países. Mais uma vez Dilma ganhou pontos, pois afirmou que o Brasil é um país muito grande, e o Lula pegou o país com muitos problemas oriundos do governo anterior. Além disso, Dilma lembrou que o Brasil criou quase 2 milhões de empregos em ano pós-crise, e que vai crescer em torno de 7%.

Então um momento curioso: Fátima Bernardes literalmente atropela o marido William Bonner, fazendo sinal para ele parar de falar. Uma situação bem inusitada (aliás, tive a nítida impressão de que Fátima Bernardes viu que o tempo estava se esgotando e então ela interrompeu Bonner para tentar falar sobre saneamento e conseguir desestabilizar a Dilma). Em seguida, Fátima começa a falar de saneamento e diz que o governo Lula teve um desempenho fraco. Dilma aqui também se sai bem. Cita o PAC e diz que os frutos dos investimentos no saneamento serão colhidos a partir deste ano.

Analisando a entrevista, vemos que a Dilma acertou em vários pontos. Mostrou autoconfiança, serenidade e visão multissetorial de país. Soube conciliar aspectos sociais e econômicos. Além disso, mostrou que esteve do lado do presidente Lula durante todo o governo, e mostrou que o foco do governo dela será o povo. Na última fala dela, olhando para o telespectador, ela mostrou que o governo Dilma será a continuação do governo Lula, mas de modo a avançar ao invés de repetir. Dilma ainda citou com maestria os dois pilares que vejo no governo Lula: o pilar social (com redução da pobreza e melhoria de vida do povo), e o pilar institucional (com o crescimento e desenvolvimento do Brasil).

Milhões de brasileiros assistiram a essa entrevista e com certeza a Dilma conquistou a muitos. Por tudo isso que eu digo, tanto no conteúdo como na forma, foi uma entrevista sensacional. Parabéns à Dilma!

16 comentários sobre “A entrevista de Dilma ao Jornal Nacional

  1. Dilma arrasou! E você também, Vander, está excelente a análise.

    Não sei se viram a entrevista seguinte na Globo News. Foi bem mais calma da parte dos entrevistadores e ela um pouco mais tensa. Não sei se foi gravada antes ou depois da levada ao ar no JN.

    http://globonews.globo.com/Jornalismo/GN/0,,MUL1612502-17665,00-DILMA+ROUSSEFF+E+ENTREVISTADA+NO+JORNAL+DAS+DEZ.html

  2. O William Bonner não deixava a Dilma terminar de falar!!! Toda vez que ela citava o governo anterior ele interrompia. No inicio quiseram aprofundar na questão pessoal, mas o mais importante que a Globo deixou clarou sua preferência. Agora é só aguardar o papo de comadre com o Serra.

  3. O melhor de tudo foi o bonner ter deixado bem claro, já no começo da entrevista, que a Dilma é a candidata do Lula…as pesquisas mostram que ainda tem muita gente que vota no serra porque acha que ele é o candidato do lula.

  4. Fernando, Vander, Gunter, quem tiver disposição e domínio da máquina administrativa desse blog (traduzindo, que puder postar), acho interessante deixar registrado em quantas estava a inflação quando Lula pegou o governo.

    Tem nego (Miriam e cia) na internet escandalizada com a afirmação da Dilma Roussef sobre o descontrole da inflação legado por FHC.

    Pelamordedeus, no site do Banco Central tem a joça da inflação e as metas. 2002 fechou em 12,5%.

    Segue o link da inflação e metas, de onde tirei essa informação: http://www.bcb.gov.br/Pec/metas/TabelaMetaseResultados.pdf

  5. Foi também uma boa entrevista.

    E, de fato, Dilma se vira muito melhor em conversas que em debates.

    Cada vez mais me convenço que debate só é útil para ver o autocontrole do candidato, e ver o Plínio.

  6. Bom, o que eu vi foi uma candidata despreparada, que não respondia ao que lhe era perguntado.
    O Bonner foi agressivo, não foi um bom entrevistator, mas cada um interpreta como lhe convém.
    E antes que digam alguma coisa, não tenho candidato ainda. acho o Serra péssimo e a Dilma pior ainda.

  7. Amanda,

    O que vc tem é um impressão de alguns minutos de uma excelente técnica, preparada para o cargo, mas que está se adequando ao ritmo da tv e radio, ao malabarismo da política, mas além de tudo à disputa eleitoral.

    Com certeza que até o fim das eleições grande parte dos eleitores vão mudar de opinião, não por força do marketing, mas pq vão conhecendo cada vez mais a Dilma.

    Eu tenho tanta certeza disso, simplesmente, pq foi assim comigo.

    Abçs,

  8. Ele errou feio, e pior se colocou numa péssima posição para as próximas entrevistas. Mas pra mim a culpa não é dele, é do Kamel (ver post em breve).

  9. Eu não creio em presidente imperial, por isso acho a governabilidade futura importante. Não adianta as pessoas depositarem esperanças em D ou M ou P ou S, a única coisa que um presidente pode fazer sem o congresso é política externa e administração do orçamento. Quanto a este a experiência de Dilma é melhor que a de Serra, FHC ou Lula.

    Mas no que Serra é bem pior que Dilma, e é algo importante para mim, é a questão ética. Ele deixar seus correligionários soltarem tantas bobagens e factóides, e fazer a base da oposição no Congresso fazer um papel ridículo em votações contraditórias diz muito a respeito do que seria seu eventual governo.

    Foi um produto de marketing, em resumo. Dos 9 candidatos acho que ele só me seria preferível ao Mario do PRTB (e isto porque esse Mario defende a pena de morte, coisa que abomino.)

  10. Vou falar sobre economia em breve. A mídia está 1) distorcendo os indicadores econômicos; 2) escondendo os resultados positivos.

    Não vai ficar assim não…

  11. bem, se a entrevista de Dilma ao JN foi melhor que o debate (que eu não vi) então ela deve ter sido horrível lá, pq ela estava uma lástima no JN, nunca respondendo nada que lhe era perguntado.

    Isto sem falar dos sem números de erros de português, erros toscos que não são permissívies a uma pessoa no naipe dela:

    onde já se viu falar várias vezes: “nós TAMO FAZENO!”

    Acho que estes comentários que li aqui são todos de petistas de carteirinha que ainda se deixam enganar por ela, pq infelizmente não temos NENHUM candidato decente. Ontem vi Marina Silva, ela sim soube ser articulada em suas respostas e não evasiva como foi a Dilma, que ver hoje o Serra.

    por enquanto meu voto é da Marina, do modo que Dilma aje eu JAMAIS votaria nela.

  12. Acho que o Bonner foi extremamente grosseiro com a candidata Dilma.Juntamente com a esposa não conseguiu esconder a preferência da rede.
    O candidato José Serra foi infeliz ao dizer de maneira subjetiva da doença de Dilma.Grosseirões!!!!!!!Precisamos do feminino no comando!!!!!Só a força de uma mulher de verdade para fazer a diferença na presidência.Força Dilma!!!
    Força Marina

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s