Sardenberg, sem medo do ridículo

“O que uma pessoa faz por dinheiro não?”

O Azenha foi mais sarcástico, categorizou a “peça” como “humor”. Nada mais justo. Pena que era a Pelágio que estava ancorando (literalmente) o Jornal da Globo. Pô,  tinha que ser o Wack.

Falando nisso vcs já imaginaram como fica a mente daqueles que dormem assistindo o Jornal da Globo e acordam com o Bom Dia Brasil? Pesadelos que variam do William Waack à Miriam Leitão. Arghhhh! Não gosto nem de imaginar.

E pensar que o JG já teve Ana Paula Padrão e Franklin Martins.

5 comentários sobre “Sardenberg, sem medo do ridículo

  1. Esse povinho da Globo e Cia subestima a inteligencia do brasileiro e dá mais um tiro no pé.
    Eu continuo achando graça!
    Raul Seixas – Eu acho graça

    Ah! Vou te contar, contigo eu tô
    Ah! Vou te contar, contigo eu tô
    O tempo todo tô comigo
    Eu tô contigo
    E sigo na jogada
    Eu não tô com nada mesmo
    Eu tô de toca e tanga
    Eu tô na santa paz, oh nêgo
    O Tico-tico e o Teco-teco
    Todos tão por dentro da jogada
    Eu não tô com nada mesmo
    Eu tô muito tranqüilio
    Eu tô dizendo adeus
    (2x)

    Passo pela praça e acho graça
    Falam mal de mim e eu acho graça
    Todo tempo ido tá contigo na manhã
    Todo tempo tido, tô contigo na manhã
    Na manhã! Na manhã!

  2. É hilário ver essa gente se debater com os fatos, haha.
    Que as diretrizes para a educação passem a incluir o aprendizado não apenas de inglês e espanhol, mas também de alemão, francês, italiano, chinês… Somente assim as próximas gerações terão acesso a material histórico que relate com precisão e honestidade o período de 2003 em diante no Brasil.
    Quem abrir algum jornal ou revista do pig daqui 30 anos achará que se trata da imprensa de outro país. Da Grécia, talvez, ou de outro país que hoje sofre as conseqüências da marvada crise (vulgo “marolinha”).

  3. “Falta estrada, falta porto, falta mão de obra”.

    Só pode ser piada.

    Quando 'falta porto', se constrói porto. Quando 'falta estrada', se constrói estrada. Quando falta mão de obra, se qualifica mão de obra.

    Limites de infraestrutura se resolve com aumento da infraestrutura. E não se aumenta infraestrutura quando não há demanda. A necessidade de melhora dos portos decorre, logicamente, do fato de os portos estarem no limite, ou acima do limite.

    É de causar perplexidade ver um economista defender o aumento da oferta (da estrutura econômica) antes do aumento da demanda. É lição básica de economia, tão básica que não precisa ser economista para entender a obviedade de tal afirmação.

    É como querer que o cara, solteiro, saia do dois quartos e compre um quatro quartos, para só então ir procurar uma namorada.

    Me espanta o absurdo desses raciocínios paralisantes.

  4. Cancelei a assinatura da Sky,não assisto jornal na globo devido estes jornalistas Wack, Sadenberg, Mirian e cia Ltda que atuam na globo e na globonews, pois como citado nos comentários, desrespeitam a inteligência das pessoas.

  5. Cancelei a assinatura da Sky,não assisto jornal na globo devido estes jornalistas Wack, Sandenberg, Mirian e cia Ltda que atuam na globo e na globonews, pois como citado nos comentários, desrespeitam a inteligência das pessoas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s