Tucanos, apedeutas em Simbologia


“tudo+por+um+flash #FAIL”

“Dicionário de Símbolos” do Juan-Eduardo Cirlot na Travessa = R$ 55,30
Acesso à internet numa lan-house próxima pra ler o tópico sobre a suástica na Wikipédia = R$ 1,50
Deputados Tucanos em busca de holofote passando um mico em rede nacional = Não tem preço

Depois os apedeutas são os outros.

Jornal do Brasil – Rio – Ícone budista é apreendido por apologia ao nazismo

Foto: DivulgaçãoA imagem do Buda Foto: Divulgação

Flávia Salme Thiago Feres, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO – Diz a Wikipédia (enciclopédia livre na internet) que “a suástica ou cruz gamada é um símbolo místico encontrado em muitas culturas em tempos diferentes: dos índios hopi aos astecas, dos celtas aos budistas, dos gregos aos hindus”. Quando adotada pelo nazismo no século passado, porém, ela foi invertida e inclinada, adquirindo uma aura maldita. Sexta-feira, a representação gráfica virou o centro de uma polêmica no Shopping da Gávea (Zona Sul), com desdobramentos na 15ª DP.

Policiais civis apreenderam um biombo com cerca de dois metros de altura que traz a figura de um Buda com a cruz suástica (não invertida nem inclinada) no peito, na loja de bijuterias e decoração oriental Cheia de Graça. Atenderam a uma denúncia de que a imagem faz apologia ao nazismo.

– Vamos apurar também junto ao fabricante da peça, no Rio Grande do Sul, se há tentativa de propaganda escamoteada – afirmou o delegado Henrique Pessoa, responsável pelo Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa.

Estupefatos, os proprietários da loja não compreenderam a ação.

– Isso tudo é de uma ignorância sem comentários. Esse símbolo existe na cultura oriental há mais de 5 mil anos, quando o nazismo nem pensava em nascer. Tentei evitar a confusão, mas não teve jeito: a polícia apreendeu o biombo e eu estou nervosa até agora com essas acusações – desabafou a proprietária Samara Nolding.

De acordo com o marido de Samara, também proprietário da loja, o biombo custa R$ 590 e foi fabricado há cerca de dois meses. O casal é de Florianópolis (SC) e mantém 13 lojas em vários estados.

– É muito ruim você estar 100% certo e sofrer punição como se tivesse cometido algum erro. Esta sensação é horrível e irreparável. Tinha uma festa e Carnaval na escola da minha filha que nós não tivemos como ir – disse José Henrique, que faz questão de ressaltar que é católico.

Autores da denúncia, o deputado estadual Gerson Bergher e a vereadora Teresa Bergher, ambos do PSDB, acompanharam a operação junto com membros da colônia judaica.

– Vivemos em um mundo globalizado e ninguém pode desconhecer o que é a cruz suástica. Criada pelos povos antigos como um símbolo do bem, ela foi incorporada ao nazismo por Adolf Hitler. A sociedade deve denunciar – protestou Teresa.

Alvo da polêmica, símbolo parece… mas não é

A diferença entre a suástica nazista e a que representa o budismo é que a adotada por Adolph Hitler tem as suas pás invertidas e inclinadas a 45 graus. O budismo explica que o símbolo gira no sentido horário e, automaticamente, absorve energia do universo, promovendo a auto-salvação de quem a usa. Ao girar no sentido anti-horário, ela emite energia, oferecendo a salvação ao próximo.

Estudos mostram que já na antiguidade a suástica foi utilizada largamente pelos indo-arianos, hititas, celtas e gregos, dentre outros. Em especial, como símbolo sacro do hinduísmo, budismo e jainismo.

O nome suástica vem da palavra sâncrita svastikah, que significa bem-estar e boa fortuna. O símbolo é basicamente uma linha reta com braços perpendiculares a cada extremidade, seguindo em direções opostas.

Com a alteração estética no símbolo, Adolf Hitler, que era ocultista e sobreviveu a 42 atentados contra a sua vida sem ferimentos, queria representar o roubo da energia do universo para seus propósitos. A ideia era paralisar o tempo e iniciar os mil anos de domínio da Nova Ordem: o 3º Reich.

O líder do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães inspirou-se num conteúdo místico para elaborar a bandeira nazista, que ficaria marcada para sempre na história da humanidade.

A composição entre o vermelho e o branco indicavam a ideia social do movimento. A temida suástica nazista representava a luta pela raça ariana e o triunfo do ideal trabalho criativo, que, para eles, seria para sempre anti-semítico.

22:13 – 12/02/2010

Powered by ScribeFire.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s