Furo do The Onion :: “Terremoto revela civilização inteira em ilha chamada “Haiti””


Simplesmente genial. Fiz uma tradução tabajara com o Google Toolbar e alguma correções. O original está abaixo.
via Hermê

Massive Earthquake Reveals Entire Island Civilization Called ‘Haiti’ | The Onion – America’s Finest News Source

Terremoto revela civilização inteira em ilha chamada “Haiti”

25 de janeiro de 2010 | Issue 46 • 04 “Haiti”

“Americanos enxergam os haitianos reais pela primeira vez em 12 de janeiro.


PORT-AU-PRINCE, HAITI – Menos de duas semanas após a convergir sobre o local de um terremoto devastador de magnitude 7,0, antropólogos americanos confirmaram a descoberta de uma pequena, a dominada pela pobreza, nação insular conhecida por seus habitantes como “Haiti”.

Localizado a apenas 700 milhas ao largo da costa sudeste da Flórida, anteriormente desconhecido o país, que se acredita ser o lar de um número estimado de 10 milhões de pessoas.

Ainda mais surpreendente, os relatórios indicam agora que essas pessoas provavelmente habitaram a estéril e pobre região – despercebidos pelo resto do mundo – por mais de 300 anos.


“Os investigadores acreditam que esta foi a capital, embora não está claro se o povo haitiano nunca teve um governo verdadeiramente funcional.”

“É uma civilização inteira que de algum modo existiu bem debaixo dos nossos narizes por todo esse tempo é um choque completo,” disse a universidade da Flórida, professor de antropologia Dr. Ben Oliver, acrescentando que aparentemente os cidadãos do Haiti estavam vivendo em condições perigosas mesmo antes do terremoto devastador que os atingiu. “Claro, houve rumores no passado sobre uma nação  esquecida no Caribe, cujo povo lutava todos os dias para sobreviver, vivia em constante medo de um governo corrupto, e para suportar tal miséria e fome que eles recorreram a comer lixo. Mas nunca lhes damos muita atenção. ”

Adicionado Oliver, “Se não fosse por este terremoto, não duvido que nunca teriamos notado Haiti.”

Embora os antropólogos disseram que ainda não sabia muito sobre a história do Haiti, alegaram que, observando as reações dos haitianos a esta catástrofe particular,  e estudando a forma como o povo se uniu e obteve consolo no sofrimento do outro, parecia que mais se eles estavam acostumados aos trágicos, horríveis, eventos.

Os pesquisadores também chegaram à “surpreendente” conclusão que os habitantes do Haiti deve ter sido em algum momento de sua história expostos ao idioma Inglês, já que muitos pareciam capazes de proferir frases como “help us”, e “Please don’t abandon us again“.



“Haiti”

“Eles são pessoas normais como eu e você”, disse Aimee da Universidade de Harvard Coughlin, que antes da semana passada nunca tinha aparecido em qualquer menção da luta da luta, seja em conversas, na televisão, ou ao fazer a varredura das páginas dos jornais. “Eles se comunicam uns com os outros, eles têm famílias e entes queridos, e eles valorizam a religião. Contudo, a julgar pela maneira como eles se desviaram pra si mesmos –  uma posição que parece que aceitaram – é claro essas pessoas haitianas misteriosas não tem muito outra coisa. ”

Segundo Coughlin, a civilização haitiana foi descoberta na noite de 12 de janeiro, quando os trabalhadores humanitários foram levados para vários resorts na República Dominicana, para ver se algum turista americano tinha sido ferido no terremoto. Durante uma excursão aérea da ilha de Hispaniola, os membros da Cruz Vermelha notou sinais de vida humana procedentes do Haiti.

“Quando nós desembarcado pela primeira vez lá, eu pensei, ‘Nenhuma pessoa poderia viver aqui”, “Oliver disse. “Não só a paisagem árida olhar incapaz de sustentar qualquer tipo de agricultura, mas não havia absolutamente nenhuma infra-estrutura também. Tivéssemos sabido sobre este lugar desesperado mais cedo, talvez nós poderíamos ter compartilhado alguns dos nossos avanços tecnológicos com eles.”

“Eu passava férias apenas milhas de distância na bela St. Kitts muitas vezes,” Oliver acrescentou. “Nunca ninguém disse nada sobre este lugar Haiti”.

Membros da comunidade do mundo eram igualmente chocados com a descoberta de uma civilização tão empobrecida. Representantes da ONU observou que a localização do Haiti coloca no caminho direto das recentes catástrofes naturais, como furacões Jeanne, Hanna e Ike, desastres que provavelmente causou a inundação maciça, doença e morte.

Da mesma forma, os líderes de várias nações ocidentais, anunciou terça-feira que eles ficaram chocados ao saber de pessoas ainda vivem sem um abrigo decente, hospitais, ou o acesso regular a alimentos e água.

“Eles não devem ter tido maneira de se comunicar com o mundo exterior, porque se tivéssemos sabido sobre estes haitianos, teríamos feito tudo em nosso poder para ajudá-los”, E.U. Senate Majority Leader Harry Reid disse.

“Claro que eu não tenho nenhuma dúvida.”

Massive Earthquake Reveals Entire Island Civilization Called ‘Haiti’

January 25, 2010 | Issue 46•04
“Haiti”

Americans laid eyes on actual Haitians for the first time on Jan. 12.

PORT-AU-PRINCE, HAITI—Less than two weeks after converging upon the site of a devastating magnitude 7.0 earthquake, American anthropologists have confirmed the discovery of a small, poverty-stricken island nation, known to its inhabitants as “Haiti.”

Located just 700 miles off the southeastern coast of Florida, the previously unaccounted-for country is believed to be home to an estimated 10 million people.

Even more astounding, reports now indicate that these people have likely inhabited the impoverished, destitute region—unnoticed by the rest of the world—for more than 300 years.
Enlarge Image Capital

Researchers believe this was once the capital, though it’s unclear if the Haitian people ever had a truly functional government.

“That an entire civilization has been somehow existing right under our noses for all this time comes as a complete shock,” said University of Florida anthropology professor Dr. Ben Oliver, adding that it appeared as if Haiti’s citizens had been living under dangerous conditions even before the devastating earthquake struck. “Of course, there have been rumors in the past about a long-forgotten Caribbean nation whose people struggle every day to survive, live in constant fear of a corrupt government, and endure such squalor and hunger that they have resorted to eating dirt. But never did we give them much thought.”

Added Oliver, “Had it not been for this earthquake, I doubt we would have ever noticed Haiti at all.”

Though anthropologists said they still did not know much about Haiti’s history, they claimed that, by observing the Haitians’ reactions to this particular disaster, and studying the way the people had come together and taken solace in one another’s sorrows, it appeared as if most of them were accustomed to tragic, even horrific, events.

Researchers also came to the “startling” conclusion that Haiti’s inhabitants must have at some point in their history been exposed to the English language, as many seemed capable of uttering such phrases as “Help us,” and “Please don’t abandon us again.”
Enlarge Image “Haiti” Settlement

“They are normal people just like you and me,” said Harvard University’s Aimee Coughlin, who before last week had never come across any mention of the struggling island republic, whether in conversation, on television, or while scanning the front pages of newspapers. “They communicate with one another, they have families and loved ones, and they value religion. However, judging by the way they are fending for themselves—a position they seem almost resigned to—it’s clear these mysterious Haitian people don’t have much else.”

According to Coughlin, the Haitian civilization was discovered on the night of Jan. 12, when relief workers were rushed to several resorts in the Dominican Republic to see if any American tourists had been injured in the quake. During an aerial tour of the island of Hispaniola, members of the Red Cross noticed signs of human life coming from Haiti.

“When we first landed there, I thought, ‘No person could possibly live here,'” Oliver said. “Not only did the arid landscape look incapable of sustaining any sort of agriculture, but there was absolutely no infrastructure either. Had we known about this desperate, desperate place sooner, perhaps we could have shared some of our technological advancements with them.”

“I’ve vacationed just miles away in beautiful St. Kitts many times,” Oliver added. “Never did anyone say anything about this Haiti place.”

Members of the world community were equally shocked at the discovery of such an impoverished civilization. U.N. representatives noted that Haiti’s location puts it in the direct path of recent natural disasters such as Hurricanes Jeanne, Hanna, and Ike, disasters that probably caused massive flooding, disease, and death.

Likewise, leaders from a number of Western nations announced Tuesday that they were dumbfounded to learn people were still living without decent shelter, hospitals, or regular access to food and water.

“They must have had no way of communicating with the outside world, because had we known about these Haitians, we would have done everything in our power to help them,” U.S. Senate Majority Leader Harry Reid said. “Of that I have no doubt.”

Powered by ScribeFire.

Anúncios

3 comentários sobre “Furo do The Onion :: “Terremoto revela civilização inteira em ilha chamada “Haiti””

  1. FSCosta,
    Por coincidência, este seu post fez-me lembrar de um artigo muito interessante do Paul Kugman, intitulado “L-ish Economic Prospects” e saído em The New York Times de 18/07/2008, antes, portanto, do terremoto econômico no final de 2008. No artigo, Paul Krugman dizia:
    “The Onion, as usual, hit the nail on the head with its recent headline: “Recession-plagued nation demands new bubble to invest in.””
    Embora a economia americana fosse considerada em recessão a partir de dezembro de 2007, o texto de Paul Krugman não era nenhum vaticínio da crise que ainda estava por vir. Aliás, a imprevisibilidade do grau de intensidade da crise permaneceu até mesmo depois que ela havia passado. E pelo que parece os Estados Unidos ainda estão a procura da nova bolha. Quem sabe se o Haiti não poderia ser uma solução. Se os Estados Unidos financiassem o estudos de haitianos em qualquer parte do mundo e investissem maciçamente na construção da infra-estrutura haitiana, com estradas de ferro e de rodagem, telecomunicações, Energia Elétrica, gás, água e esgoto, rede de hospitais e rede de educação complementada com médicos e professores de língua francesa pagos com salários americanos, a primeira conseqüência seria a subida de preços para o novo patamar de renda dos haitianos inundados com a quantidade de dólares entrando na economia, mas em dez anos se teria um novo e rico país. E se fosse do interesse, poder-se-ia levar para lá algum tipo de indústria como a Tramontina, a Votorantim, a Petrobras etc.
    Essa idéia de reconstrução do Haiti, eu tive na época que as tropas brasileiras foram para lá sob a supervisão da ONU. Pareceu-me que era a oportunidade de ouro para o PT fazer surgir um gerente administrativo com experiência internacional. Por sorte, o PT não fez o que eu imaginei, pois tudo poderia vir desaguar no terremoto. A idéia, entretanto, é válida. E com um pouco de exagero, o Haiti possa servir de bolha para relançar a economia americana.
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 28/01/2010

  2. Thanks for the information! Will continue to pray and to support the relief and rescue efforts in Haiti. Praying for God to be their Hope and comfort in this very difficult time.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s